Rede DLIS Expressa Trajetória de 18 anos em Livro

Adriano Almeida em colaboração com Rogério Costa.

Na sexta, 10 de dezembro, a Rede de Desenvolvimento Local, Integrado e Sustentável do Grande Bom Jardim (Rede DLIS) lançou o livro REDE DLIS: Lutas e Conquistas Populares, sistematizando a trajetória de 18 anos de atuação do coletivo popular de articulação por direitos, que se situa no mundo a partir do território Grande Bom Jardim, região sudoeste de Fortaleza. O evento também marca os 73 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos. A confraternização de final de ano da principal Rede popular do Grande Bom Jardim emocionou lideranças e parceiros, que compareceram ao anfiteatro do Centro de Defesa da Vida Herbert de Souza (CDVHS), no bairro Canindezinho, entre as 19h e 22h.

Exposição do Ponto de Memória inspirou o Livro

O livro teve como fonte de dados a exposição REDE DLIS 15 ANOS: LUTAS E CONQUISTAS POPULARES, realizada pelo Ponto de Memória do Grande Bom Jardim e pelo CDVHS, em 2018, por ocasião dos 15 anos do mesmo coletivo. Os conteúdos organizados em linguagem expográfica, da museologia comunitária, foram transpostos para a linguagem escrita, sendo agregadas novas informações que escaparam à época da exposição, integralizando conteúdos dos últimos três anos, bem como recebendo uma sistematização para produção de sentidos coletivos a partir das cores que compõem a logomarca da Rede DLIS.

Segundo Adriano Almeida, um dos agentes sociais responsáveis pela concepção e curadoria da exposição e co-organizador do livro, a exposição assim como o livro “constitui e afirma uma narrativa comunitária das vitórias alcançadas graças à organização social e à incidência popular por políticas públicas para o desenvolvimento sustentável do Grande Bom Jardim. Ela colabora para afirmar o GBJ no Centro da Narrativa como Lugar de Direitos, estratégia discursiva de auto-referenciação como força de se afirmar sujeito na sociedade política. Eu tenho uma ligação espiritual e missionária com e no território Grande Bom Jardim. A minha trajetória profissional é atravessada pela história da Rede DLIS, instância na qual sou um dos agentes de transformação. Vim em 2002, como estudante de ciências sociais, e sigo até hoje”, analisa emocionado Adriano. 

A Visão dos Organizadores do Livro

Ana Maria de Freitas, assistente social, associada e técnica do CDVHS, membro da assessoria das CEBs do Regional Nordeste I, Conselheira da Cáritas Brasileira Regional Ceará, explicou a diagramação do livro em sintonia com a logomarca da Rede DLIS. Cada círculo representando um dos 5 bairros do Grande Bom Jardim: Bom Jardim (Lilás), Canindezinho (Azul), Granja Lisboa (vermelho), Granja Portugal (laranja), Siqueira (verde). Assim o colorido se mistura aos diferentes conteúdos: apresentação e introdução, quem somos, nossos princípios e valores, nossas utopias, nossos eixos de atuação, nossas principais e lutas e conquistas, ao longo desses 18 anos.

Adriano explica que a reescrita para a produção textual do livro baseou-se didaticamente em quatro temáticas, assim como A exposição REDE DLIS 15 ANOS: LUTAS E CONQUISTAS POPULARESIDENTIDADE: quem Somos e o que nos embasa; FORMAS DE EXPRESSÃO: documentos e processos norteadores; AFETOS: sentimentos e reflexões através de poesia, de músicas e de testemunhos; ALEGRIAS: Celebrando as conquistas e os avanços em termos de políticas públicas

Professor da Unilab escreveu o prefácio

Durante o evento de lançamento, o professor Eduardo Machado, doutor em Sociologia – Professor Associado – Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB) – Coordenador do Projeto de Extensão Diálogos Urbanos-UNILAB, historicamente colaborador da Rede DLIS, expressou sua alegria em ter sido convidado para escrever o prefácio do livro e disse do seu respeito, de forma emocionada, pela trajetória da Rede, que não só aponta para as utopias do futuro mas já as antecipa nas práticas participativas, solidárias e educativas. Ressaltou o quanto a Rede se afirma como efetivamente democrática, nas suas práticas de cuidado das emergências da vida nas periferias sem abrir mão do controle social crítico e propositivo das políticas públicas, o que de fato democratiza também o Estado brasileiro, tarefa cada vez mais necessária.

O Livro contou com diversos apoiadores

O livro REDE DLIS: LUTAS E CONQUISTAS POPULARES recebeu apoio financeiro do Fundo Estadual de Combate à Pobreza (FECOP), através de edital de chamamento público 2020 de Fortalecimento de Iniciativas Comunitárias, no contexto da pandemia, do Centro Cultural Grande Bom Jardim, órgão da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (SECULT), gerido pelo Instituto Dragão do Mar (IDM), e também contou com apoio financeiro da Misereor, Obra episcopal da Igreja Católica da Alemanha para a cooperação ao desenvolvimento, por meio de projeto institucional trienal do CDVHS.

Veja detalhes da programação

Na programação, estiveram os sacerdotes pai Neto Tranca Rua, padre Marco Passerini e padre Rino Bonvini, a religiosa Ângela Castro, da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, evocando energias ancestrais e dos encantados, fazendo as bênçãos e proferindo mensagens espirituais.

As intervenções artístico-culturais se deram com Grupo Cultural Toque de Senzala, que executou toques de evocação às energias pedindo bênçãos; com Megh Coelho, poema antirracista; Yuri Gomes, performance cover de Michael Jackson; com Luzy Coelho e Pedro Carlos, Canto das  Três Raças;  

Poema antiracista de Megh Coelho.

Outra participação através de vídeo foi a mensagem de reflexão político-filosófico de Paulo Carbonari, pelo Movimento Nacional de Direitos Humanos (MNDH), sobre os 73 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos em meio ao pior desastre sanitário do país.

Paulo Carbonari analisa contexto dos direitos humanos no Brasil.

Depois da fala filosófica veio a fala popular, enraizada nas lutas da Associação dos Moradores do Bom Jardim, liderada por Zenilce Freitas, ou simplesmente Nice, que lembrou o tempo em que migrou do interior de Canindé de onde  já veio informada de que aqui no Grande Bom jardim havia uma Rede – a Rede DLIS. Nela se engajou e aprendeu muito. A Rede lhe serve de apoio à atuação até hoje, na cozinha social, que atende às famílias das comunidades do Santo Amaro e ribeirinhas, nas atividades junto ao grupo de mulheres e com os jovens da sua comunidade. Agradeceu o apoio da Rede DLIS e do CCBJ, através do Edital de Apoio às Iniciativas Comunitárias, recebido durante os dias duros da pandemia, e que permanece apoiando até hoje. 

Participação Popular

Outras lideranças populares que disseram sua palavra de reconhecimento, gratidão e compromisso para com a Rede DLIS foram Fátima Oliveira, da Associação pelo Bem Estar das Pessoas com Deficiência, Iracema Lima do Grupo Mulheres Vitoriosas, e Zélia Taboza, da Associação dos Moradores da Comunidade Marrocos.

Prestou-se homenagem coletiva ao padre Marco Passerini pelo seu compromisso histórico com os excluídos no Brasil, com fala de Lúcia Albuquerque, coordenadora do CDVHS, com entrega de orquídeas amarelas e canção das Comunidades Eclesiais de Base por Ana Maria Freitas e Rogério Costa.

Participação Institucional

Pelas falas institucionais tivemos pelo Centro Cultural Grande Bom Jardim, a participação da Francisca Nobre (Tita), gerente do Núcleo de Articulação Técnica Especializada (NArTE), do gestor geral, Levi Nunes, que apresentou um balanço das diversas ações do CCBJ, muitas delas em parceria com organizações da Rede DLIS; do Secretário da Cultura do Estado do Ceará (SECULT CE), Fabiano dos Santos Piúba, que ressaltou a importância do Fórum de Cultura do Grande Bom Jardim e da Rede DLIS para que nos últimos anos houvesse um expressivo aumento orçamentário para a execução das atividades do CCBJ, contribuindo efetivamente para o combate às diversas expressões da pobreza.

Da parte da Câmara Municipal de Fortaleza, a covereadora Adriana Gerônimo da Mandata Nossa Cara (PSOL) ressaltou a importância da Rede DLIS no cenário dos movimentos sociais da cidade. Também esteve presente ao evento a assessora da vereadora Larissa Gaspar (PT), Janaína Rocha. 

Saiba mais nas nossas redes sociais.

https://www.instagram.com/rededlis/

Produção do evento: 

Concepção e Programação: Comissão de Articulação da Rede

Script e Cerimonial: Ingrid Rabelo e Adriano Almeida

Som: Megh Coelho, Cassiane Nascimento e Rogério Costa

Comunicação / Redes Sociais: Rogério Costa

Mobilização: equipe CDVHS.

Ornamentação: Halan Jackson, Lana, Joice Luz, Lúcia Albuquerque

Financeiro: Graça Castro

Ficha Técnica do livro

Organização: Ana Maria Freitas e Adriano Paulino de Almeida

Apresentação: Eduardo Gomes Machado

Texto e Pesquisa: Adriano Paulino de Almeida

Entrevistas e Transcrições: Maria Gorete Alves Vidal

Fotografias: Acervo Rede DLIS

Revisão: Naíra Alves Bezerra

Projeto Gráfico e Diagramação: Daqui de Fora – Comunicação e Criatividade

Capa: Agamenon Porfírio de Lima Filho 

Adaptação da Capa: Claviano Nascimento de Sousa

Bibliotecária: Neiliane Alves Bezerra

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *