COZINHAS COMUNITÁRIAS DO GBJ DIALOGAM COM REGIONAL V

Reunião contou com uma representação das Cozinhas Comunitárias do Grande Bom Jardim, o poder executivo e parlamentares para construir caminhos solidários efetivos para fazer chegar rapidamente comida a quem tem fome. No Grande Bom Jardim são pelo menos 14 cozinhas comunitárias, articuladas com apoio da Rede de Desenvolvimento Local, Integrado e Sustentável do Grande Bom Jardim (Rede DLIS) e Comitê Popular de Enfrentamento à Covid-19 de Fortaleza.

Encontro reuniu Rede DLIS, Cozinhas Comunitárias, Regional V e Parlamentares

Na quinta, 12 de maio, um grupo representativo das 14 cozinhas comunitárias do Grande Bom Jardim, coletivo com atuação em rede territorial, reuniu-se com o secretário da regional V, Moacir Soares. O encontro aconteceu, entre 9h e 11h, na sala de reuniões do gabinete do secretário e contou com a presença de 17 pessoas, 4 cozinhas comunitárias das seguintes organizações: Associação Espírita de Umbanda são Miguel (AEUSM), Associação dos Moradores do Bom Jardim (AMBJUNIDAS), Espaço Criart (CRIART), Instituto Maria do Carmo (IMA), 3 mandatos parlamentares, sendo estes Fortaleza Verde, Larissa Gaspar e Nossa Cara, 2 vereadores estiveram presentes, Gabriel Aguiar (Fortaleza Verde) e Louise Santana (Nossa Cara).

A pauta central do encontro foi política pública para fortalecimento das cozinhas comunitárias. Durante a reunião, a partir de um exercício coletivo de explanação das vocações e potencialidades do território Grande Bom Jardim, as falas geraram a identificação de estratégias efetivas a curtíssimo, médio e longo prazos para o fortalecimento das 14 cozinhas comunitárias mapeadas pela Rede DLIS e Comitê Popular de Enfrentamento à Covid-19 no Grande Bom Jardim e demais Periferias de Fortaleza, e apontamento de caminhos para a construção de uma política pública para as cozinhas comunitárias de Fortaleza. (vide lista abaixo).

Demandas

O grupo representativo das 14 cozinhas levou para a reunião dois eixos de demandas:

a) destravar os recursos públicos já alocados e destinados ás cozinhas comunitárias do Grande Bom Jardim;

b) solicitar a atuação do titular da regional V como articulador e mediador de relacionamentos intersetoriais para o fortalecimento das cozinhas comunitárias, através de parcerias possíveis com setor privado e outros arranjos executivos.

Reunião na Regional V debateu formas de apoiar as Cozinhas Comunitárias do Grande Bom Jardim.

Comitê Executivo Atuará nos Encaminhamentos

Ao final da reunião foi criado um Comitê Executivo de Trabalho Intersetorial composto pelas representações institucionais presentes participantes, envolvendo comunidade organizada, gestores e parlamentares.  

Os mandatos municipais irão atuar em bloco e acionar o deputado estadual Renato Roseno (PSOL) e outros parlamentares estratégicos, para iniciar diálogo com Fundo Estadual de Combate à Pobreza (FECOP). Os parlamentares também atuarão em bloco para a criação de um selo de qualidade social a ser conferido às cozinhas comunitárias. O selo é uma estratégia de chancelamento institucional, que pode facilitar captação de parcerias e seleções públicas.   Parlamentares também irão repostar o vídeo que a Rede DLIS/Comitê Popular produziu em parceria com a fábrica de imagem e com coletivo imaginário comum lançado em janeiro de 2022 para dar visibilidade às cozinhas comunitárias.

Moacir Soares irá convocar a vigilância sanitária e articular representantes de redes de mercantis locais para checar a viabilidade de uma política de parceria entre as redes de mercantis e as cozinhas comunitárias com assentimento e controle pelo órgão sanitário regulador. O secretário também sugeriu ao coletivo das 14 cozinhas comunitárias mapeadas pela Rede DLIS e Comitê Popular a criação de uma fundação que as represente em convênios. O gestor também fez referência à Fundação Kellogg e cogitou a possibilidade de contatá-la para sondar possibilidades de parcerias e de apoio.

A Rede DLIS e Comitê Popular farão relatório das 14 cozinhas comunitárias contendo localização, identificação das lideranças, levantamento das necessidades, do público real demandante e da atual capacidade de atendimento.

Alternativas para Apoios Institucionais às Cozinhas Comunitárias

As representantes das 14 cozinhas comunitárias presentes enfatizaram que não adianta usarem editais para fortalecer as cozinhas comunitárias, pois poucas estão aptas à concorrer e celebrar convênio. Interessa ao segmento mecanismos com menos burocracias e que estimulem o capital social, a solidariedade orgânica de cozinhas comunitárias em atuação em redes. Editais, além de segregar, excluir também promovem disputas e concorrências entre as cozinhas, portanto não fazem sentido. Foi citado como exemplo o modelo de Fortalecimento de Iniciativas Comunitárias, adotado pelo Núcleo de Articulação Técnica Especializada do Centro Cultural Bom Jardim, equipamento da Secretaria de Cultura do Estado do Ceará (Secult CE), localizado no Bom Jardim. Em 2020 e 2021, durante a pandemia, cozinhas comunitárias acessaram este instrumento e conseguiram garantir insumos, produção diária e formação qualificada de mão de obra. Hoje muitas das mulheres capacitadas nas formações de projetos que receberam apoio da Secult CE via CCBJ estão inseridas no mercado de trabalho.

Grande Bom Jardim – Reduto das Cozinhas Comunitárias

Um consenso geral foi a necessidade de construirmos e afirmarmos a narrativa da identidade Grande Bom Jardim (GBJ) como um território reduto das cozinhas comunitárias. Uma estratégia importante é dar visibilidade ao vídeo que a Rede DLIS/Comitê Popular produziu em parceria com a fábrica de imagem e com coletivo imaginário comum lançado em janeiro de 2022.

Secretário da SDHDS Participa da Reunião com as Cozinhas Comunitárias

Moacir Soares em videoconferência com Ilário Marques. Foto: Rogério Costa.

Por vídeo chamada, o titular da pasta de Direitos Humanos e Desenvolvimento Social de Fortaleza (SDHDS), Ilário Marques, também participou brevemente da reunião. Na chamada, Ilário anunciou que acabou de apresentar ao prefeito o projeto Juntos por Fortaleza, elaborado em parceria com o governo do Estado e contando com subsídio do erário estadual. O projeto prever a execução de mais de 20 milhões de reais com a produção de mais de 20 mil refeições diárias. Acerca da execução dos 125 mil referentes à emenda parlamentar via Programa de Cooperação Federativa, destinada em 2021, pelo mandato estadual Renato Roseno (PSOL), à segurança alimentar de Cozinhas Comunitárias do Grande Bom Jardim, até sexta o chefe de gabinete do Ilário Marques vai retornar para confirmar o caminho jurídico para execução. A emenda foi destinada à Secretaria de Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos (SPS) e para execução, a SDHDS precisa solicitar à Casa Civil o repasse do montante total de 125 mil reais, mediante projeto executivo e conveniar com a SPS.

Outros Assuntos Trazidos pela Regional V: Recuperação do Canal; Obras no Marrocos; Cursos.

Moacir Soares anunciou que conseguiu aprovar um projeto junto ao Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD) para recuperação física de trecho de 1 km do canal para o bairro Bom Jardim. O projeto foi o único do país aprovado pelo BIRD. Segundo Moacir Soares o feito situa o Bom Jardim na agenda mundial da política urbanística e sanitária, o que abrirá caminhos para captar mais recursos para viabilizar um cuidado integral das necessidades ambientais do território.

O secretário comunicou que foi presencialmente ao Marrocos cobrar da construção executante das obras físicas celeridade para finalização da obra e chamou atenção de engenheiros para melhorar o tratamento pessoal na relação com as lideranças e moradores, pois são elas que pagam os nossos salários, são os nossos patrões, disse o gestor.

A regional também apresentou uma carta de cursos, contendo 16 percursos formativos realizados pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (SDE) em parceria com o SEBRAE. As organizações demandantes precisam apenas apresentar o interesse e fazer a captação do público, que a execução é garantida pela SDE em local indicado pelas organizações solicitantes. O grupo decidirá coletivamente em rede os cursos mais interessantes aos públicos de cada entidade conforme as demandas reais e notificará formalmente a regional para agenciar locações e execuções.

LISTA DAS COZINHAS COMUNITÁRIAS GBJ MAPEADAS PELA REDE DLIS/COMITÊ POPULAR EM 2021:

  1.      Movimento de Saúde Mental Comunitária Bom Jardim (MSMCBJ) Escola Gastronomia Autossustentável, Rua Doutor Fernando Augusto, 985,
    60543-372, Parque Santo Amaro, BOM JARDIM
  2. Associação dos Moradores do Bom Jardim Cozinha Social AMBJUNIDAS, Rua Nova Conquista, 415, Parque Santo Amaro, BOM JARDIM,
    60543-355
  3. Associação Espírita de Umbanda São Miguel, Rua Medelin, 2914, GRANJA LISBOA, CEP: 60540-000 (entre a UPA e o cemitério)
  4. Instituto Maria do Carmo, Rua Coronel Fabriciano, 1820 B,
    CEP: 60540-835, Granja Portugal
  5. Comunidade do Bem-Viver Sagrada Família, Rua Raimundo Marquês, 806, Parque Jerusalém, CANINDEZINHO,  60731-410 (próximo ao mercantil Claeck)
  6. CEPEC Pé no Chão, Rua Alves Bezerra, 708, Parque São Vicente, SIQUEIRA,
    60736-130
  7. Fábrica do Bem, Rua Samaria 1519, , Pantanal, BOM JARDIM cep. 60545-284
  8. Cozinha Paróquia Santa Cecília, Endereço: R. Coronel João Correia, 2021 – Granja Lisboa, Fortaleza – CE, 60543-322
  9. Projeto Irmão Sol, Irmã Lua, Rua São Felipe, 868, 60731-020, Parque Jerusalém CANINDEZINHO
  10. Cozinha SOS PERIFERIA, Av. General Osório de Paiva, 4838,
    60731-534
  11. Cozinha Cultura Solidária, coordenada pela Associação Cultural Afoxé Omõrisà Odè, Rua Geraldo Barbosa, 2971, Granja Lisboa, 60540-342
  12. Cozinha Solidária e Criativa Criart, EndereçoRua Maranguape, 385 – Bom Jardim, Fortaleza – CE, 60543-294
  13. Cozinha Social da Associação Comunitária dos Moradores do Parque Nazaré, Siqueira ASCOPAN, Rua Padre Palhano, 1115, 60732-240, Siqueira
  14. Cozinha Comunitária da Paróquia Santa Paula Frassinetti, Rua Paulino Rocha, 2417,
    60540-576, Granja Lisboa.

Cozinha Social do Estado:

  1. Cozinha Projeto ABC Bom Jardim, Rua Três Corações, 762, Parque Santa Cecília, Granja Lisboa, 60540-441, Secretaria de Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos (SPS)

Saiba Mais Sobre Campanhas de Solidariedade no Grande Bom Jardim (veja parte II no link abaixo)

https://cdvhs.org.br/wp-content/uploads/2021/11/Informe-CDV-Caderno-I-1.pdf

Texto: Adriano Almeida com colaboração de Rogério Costa.