VI Festival das Juventudes discute igualdade racial e de gênero , neste sábado (15), no Grande Bom Jardim

O VI Festival das Juventudes, com o tema “Conhecimento e Diversidade”, teve início no sábado, 18 de maio, no bairro Canindezinho, marcando o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. O evento, que se estende até 29 de junho, acontece no Centro de Defesa da Vida Herbert de Souza (CDVHS) e busca engajar as juventudes na promoção dos direitos humanos, enfatizando a diversidade de raça, gênero e território, por meio de expressões artísticas como dança, música, teatro, artesanato e audiovisual.

No terceiro dia do evento a mesa de abertura, cujo tema é “Paz é Repar(ação) Social”, conta com a participação de Thayná Sousa, fundadora do coletivo REVIDE (revolução, vida, direitos humanos e educação), Lany Maria, educadora social no Centro de Defesa da Vida Herbert de Souza – CDVHS e Lipe da Silva, integrante da equipe de educação social da NUPA ( Núcleo de Políticas Afirmativas) do Instituto Mirante de Arte e Cultura


Para a assessora de juventudes do CDVHS, Ingrid Rabelo, o contexto das múltiplas violências que atingem as juventudes exige a disseminação e defesa dos direitos humanos . “ Vivenciamos um período de muitos desafios e desproteção à população infantojuvenil, os dramas sociais se agravam com muita velocidade, seja pela violência urbana, seja pela violência racial ou de gênero, um exemplo são as recentes notícias do projeto de lei que desrespeita os direitos de mulheres já previstos na legislação. Misturado aos momentos de reflexão coletiva , o festival reúne adolescentes e jovens para produção de resistências, fazendo ecoar as diversas expressões artísticas e de luta que elas produzem”, afirma.

A programação deste ano acontece durante quatro sábados e inclui oficinas de produção artística, debates e discussões sobre questões que afetam as juventudes do território do GBJ. Nesse sábado, as oficinas serão realizadas em parceria com o Serviço Social do Comércio ( SESC) , Universidade Federal do Ceará e Centro Cultural Canindezinho. O evento é realizado pelo Grupo Jovens Agentes de Paz (JAP), que atua na região há mais de 15 anos, vinculado ao CDVHS em parceria o Grupo Artes Insurgentes da UFC. E conta com apoio financeiro das organizações CESE e MISEREOR.

Grande Bom Jardim

O Grande Bom Jardim é um território da periferia sudoeste de Fortaleza, formado por cinco bairros oficiais (Bom Jardim, Canindezinho, Granja Lisboa, Granja Portugal e Siqueira) e uma população estimada de 220 mil habitantes. Reflete uma cidade que se faz desigual, incidindo os seus reveses na parcela da população mais vulnerável, suas classes populares, de trabalhadores informais, com baixos rendimentos e pouca escolarização. Em termos populacionais, esse território representa 8,33% da população da capital.

CDVHS

O Centro de Defesa da Vida Herbert de Souza (CDVHS) é uma organização da sociedade civil que atua há 30 anos no Grande Bom Jardim, por meio de seu investimento em investigações que são utilizadas para subsidiar processos de defesa dos direitos humanos, sobretudo do direito à vida segura e protegida de crianças e adolescentes. Com articulação com as escolas da região, o CDVHS promove atividades de formação em direitos humanos e contribui para a organização de jovens em coletivos de discussão e produção de atividades de arte e cultura.

Serviço

VI Festival das Juventudes: Arte, Cultura e Formação em Direitos Humanos, “Conhecimento e Diversidade”
Abertura: 15 de junho de 2024 (sábado), às 8h
Programação: 18 de maio e 1º, 15 e 29 de junho
Local: Centro de Defesa da Vida Herbert de Souza (Avenida Osório de Paiva, 5623, Canindezinho – Fortaleza)

Fotos: Equipe de Comunicação do VI Festival das Juventudes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *