9ª Marcha da Periferia denuncia o genocídio do povo negro

O CDVHS e outras entidades e movimentos sociais cearenses participaram da 9ª Marcha da Periferia no dia 27 de novembro, com concentração na Praça da Bandeira, caminhada pelas ruas do Centro e encerramento na Igreja do Rosário. A marcha desse ano teve o tema “Nem Fome, Nem Tiro, Nem cárcere, Nem Covid: Basta de Genocídio do Povo Negro”.

Segundo a assessora de juventudes do Centro de Defesa da Vida Herbert de Souza (CDVHS), Ingrid Rabelo, o objetivo foi denunciar a miséria, a má gestão da pandemia, o racismo, as políticas de extermínio e o encarceramento da população pobre, negra e periférica. “A marcha também mostrou que a vida pulsa nas quebradas através da arte e das redes de apoio e resistência, afirmou Ingrid.

Pré- Marcha

O evento teve quatro meses de preparação envolvendo reuniões, oficinas, saraus e articulação com grupos artísticos.  Um dos momentos mais marcantes foi a realização do 1º Sarau duzz Gueto realizado no dia 11 de setembro na sede do CDVHS. 

Cumprindo as medidas sanitárias, o Sarau reuniu jovens de coletivos do Grande Bom Jardim, Pirambu e de outras regiões de Fortaleza que apresentaram performances poéticas e políticas denunciando as violações de direitos e exaltando o poder das juventudes. Em entrevista para o Cedeca- CE, Lany Maria,  integrante da organização da Marcha ressaltou a importância desses momentos : “decidimos nos encontrar para fortalecer esse lugar de construção da Marcha e a ideia é que a gente consiga fazer esse Sarau em vários outros territórios. A gente constrói a luta assim, com muita dança, tambor, batuque, até que chegue o dia da gente gritar”, afirmou a jovem que também é educadora do CDVHS.

A preparação também teve  oficina de tecelagem de blusa com a identidade visual da 9ª Marcha da Periferia, facilitada pela colaboradora do CEDECA-CE, Lany Abreu que apresentou um vídeo com a história da Marcha, organizada desde 2013 quando ainda se chamava Caravana da Periferia, na ocasião a  Praça do Ferreira foi ocupada tornando-se palco de denúncias e reivindicações. A partir de 2014 já passou a levar o nome de Marcha e, em 2015 após a tragédia da Chacina do Curió, quando 11 adolescentes foram vítimas da violência institucional,  movimentos da cidade organizaram a 3ª Marcha da Periferia. Desde então o mês de novembro é dedicado para mobilizar e organizar essa manifestação pelos Direitos Humanos.

Programação

Com muita animação e batucada desde a concentração, participantes se reuniram na praça da bandeira, onde foi realizada a leitura coletiva da carta e falas de representantes institucionais. Divididos nas alas: 

– Menos Muros que aprisionam mais escolas que solucionam

– Comida no prato vacina no braço e bem viver do povo negro

– Por vida e liberdade nas periferias 

Manifestantes passaram pelas ruas do centro no sentido Ocupação Dragão do Mar, localizada na av. Barão do Rio Branco, onde teve falas sobre direito à moradia e depois seguiu para Praça dos Leões,  onde teve apresentações artísticas de vários movimentos da cidade, os grupos Maracatu Nação Bom Jardim, Tambores do Gueto e artistas como Megh Coelho e Eli Rodrigues  do Grande Bom Jardim realizaram intervenções artísticas  no local. 

Medidas Sanitárias

O uso de máscaras, álcool em gel e distanciamento social foi cumprido durante toda a pré- marcha e a organização do evento ressaltou durante todo o percurso a importância da vacinação. 

Para Ingrid a importância  do CDVHS estar  na organização nesse e em outros anos “o fato da ONG atuar com moradores/as, lideranças populares e juvenis que vivenciam diariamente  os efeitos das violações denunciadas na marcha e ao mesmo tempo produzir e apoiar estratégias  e movimentos de resistências ligados a arte, cultura  e monitoramento  de políticas  públicas  que consigam responder essas demandas e  possibilitar a que o povo negro, pobre e periférica  tenham acesso à  justiça social”, afirmou a assessora de juventudes do CDVHS.

Grupos do Grande Bom Jardim presentes na Marcha

  • Brincantes Sonoros
  • Comitê ´Popular de Prevenção à Covid-19 no Grande Bom Jardim e outras periferias
  • Centro de Defesa da Vida Herbert de Souza- CDVHS
  • Instituto Maria do Carmo- IMC
  • Invenções das Crianças de Nova Canudos
  • Jovens Agentes de Paz
  • Maracatu Nação Bom Jardim
  • Oh Vibe
  • Projeto Vivo Cidadania/ CDVHS
  • Raízes do Bom Jardim
  • SOS Periferia
  • Tambores do Gueto
  • Zeis- Bom Jardim

Mat´´eria escrita por : Jocasta Pimentel – Jornalista e Ingrid Rabelo- Assistente Social

Arquivo da Marcha da Periferia- Foto da concentração
9ª Marcha da Periferia
Pré- Marcha
Caravana do Bonja para 9ª Marcha da Periferia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *