COZINHAS COMUNITÁRIAS PRODUZEM 500 REFEIÇÕES EM MUTIRÃO SOLIDÁRIO

Na sexta, dia 09/09, entre 7h e 13h, 09 organizações integradas à Rede de Cozinhas Comunitárias do Grande Bom Jardim reuniram-se para a produção de 500 refeições para almoço em mutirão. A cozinha social do Projeto Irmão Sol Irmã Lua doou insumos e disponibilizou a cozinha para a realização do ato solidário. A ação aconteceu na Rua São Felipe, 868, Parque Jerusalém, Canindezinho. Fortaleza, Ceará.

A Rede de Cozinhas Comunitárias do Grande Bom Jardim é formada por 19 equipamentos, que atende diretamente 62 áreas no território do Grande Bom Jardim, sendo 17 (27,4%) áreas críticas e vulneráveis à fome severa. Sem nenhum recurso público e com apenas 11 doares permanentes, 15 Cozinhas Comunitárias mantém produção a base de doações e chegam 187,6 mil refeições por ano, revela estudo.

Participaram da ação as cozinhas comunitárias:

  • Projeto Irmão Sol Irmã Lua;
  • Instituto Maria do Carmo;
  • Instituto Avivar;
  • Organização Queira Bem;
  • AMBJUNIDAS;
  • Centro União Beneficente dos Moradores da Granja Portugal, CUBMGP;
  • Grupo Solidário e Criativo Criart;
  • Associação dos Moradores da Comunidade Marrocos;
  • Cozinha Solidária Ana Facó.

Cada cozinha participante foi beneficiária de 55 refeições. Estas foram doadas para áreas mais críticas. O Residencial Ana Facó recebeu 110 refeições de doações do IMC, do Grupo Criart. A Comunidade Paz recebeu doações da AMBJUNIDAS e da Associação da Comunidade Marrocos. O Instituto Avivar, o CUBMGP e a Queira Bem levaram as suas respectivas quantidades. Como esta última tem uma demanda maior, ela recebeu 85 refeições.

Autoridades presentes no mutirão das Cozinhas

Estiveram presentes Moacir Soares, secretário municipal regional V, Adriano Almeida, do Centro de Defesa da Vida Herbert de Souza (CDVHS) e coordenador de campo da pesquisa Mapa Participativo de Enfrentamento à Fome do Grande Bom Jardim, e técnicos da infraestrutura da SEDUC. Soares assumiu compromisso de repassar cestas básicas para as cozinhas e também prometeu solicitar à Secretaria Estadual de Educação (SEDUC) doação de mobília e itens de cozinha para a Rede de Cozinhas.

Durante a produção e distribuição dos alimentos esteve presente a produção da TV Assembleia, com o repórter Jânio Alves, fazendo a cobertura da atividade solidária.

O próximo mutirão acontecerá no sábado, dia 10 de setembro, na Cozinha Solidária Ana Facó, para produção de almoços. A cozinha é localizada à Rua Andreia Soares, 1099 – bloco 4 AP 402 CEP 60544-340, Siqueira.

Sobre a Pesquisa

O estudo Mapa Participativo de Enfrentamento à Fome do Grande Bom Jardim (GBJ), realizado pela OSC Centro de Defesa da Vida Herbert de Souza, em parceria com os laboratórios de pesquisa e extensão Diálogos Urbanos (Unilab) e Núcleo de Pesquisa e Extensão em Geografia da Alimentação (NUPEGA – UFC), revela que quase 14 mil pessoas (13.950) são atendidas pela ação de 15 cozinhas comunitárias. A Rede de Cozinhas Comunitárias GBJ é formada por 19 equipamentos, que atende diretamente 62 áreas no território, sendo 17 (27,4%) áreas críticas e vulneráveis à fome severa. Anualmente, sem participação de recursos públicos, a rede de cozinhas comunitárias do GBJ produz 187,6 mil refeições. 11 das 15 cozinhas pesquisadas têm doadores permanentes. Estas contam com o apoio de somente 12 organizações doadoras, sendo a maioria de mercantis locais e de cozinhas da própria Rede. Estas 15 cozinhas comunitárias produzem 1,6 mil refeições. Mas este número poderia chegar a 3 mil se houvesse investimentos públicos.

A pesquisa ainda constata que estas cozinhas geram ocupação direta a 77 moradores, maioria mulheres, que trabalham de forma voluntária e por troca de refeições. Somente 9 destas cozinhas têm chefes de cozinha com formação. Apenas 3 têm nutricionista e somente 1 dispõe de profissional da engenharia de alimentos. Os números revelam a potência da Rede de Cozinhas Comunitárias do GBJ na produção e distribuição descentralizada de alimentos em das regiões mais vulneráveis da cidade, como também apontam para a necessidade de políticas públicas de fortalecimento e promoção, recomenda o diagnóstico em 43 propostas de políticas públicas, sendo 25 imediatas e emergenciais e 18 estruturais de médio e longo prazo.

Sobre o Território

O território GBJ é formado pelos bairros Bom Jardim, Canindezinho, Granja Lisboa, Granja Portugal e Siqueira, com uma população estimada de 225.210 habitantes, segundo dados da Secretaria Municipal da Saúde de Fortaleza, sendo 70% da população de cor, aponta o IBGE. Considerando indicadores de educação, renda e expectativa de vida, todos classificados como muito baixo, os cinco bairros estão no ranking dos 12 piores Índice de Desenvolvimento Humano por Bairros (IDH-Bairro) da capital cearense. O território soma 831 óbitos pela Covid-19 (SMS em 06/09), superando grandes municípios como Sobral (776) e Juazeiro do Norte (753) e similar a Maracanaú (858), de acordo com o IntegraSUS, em 05/09.

Como doar para que as Cozinhas Comunitárias continuem produzindo refeições

você pode doar para as Cozinhas e fortalecer a CAMPANHA QUEM TEM FOME, TEM PRESSA!

Doações chave pix: (88) 9.9498-8580 em nome de Adriano Almeida, um dos articuladores da Rede de Cozinhas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *