Associados/as

Publicação 31/03/18 14:42; atualização 31/03/18 14:43

O quadro de associados/as do Centro de Defesa da Herbert de Souza, é composto por militantes e ativistas sociais, como também de religiosos e leigos, dos quais muitos advindos das pastorais, comunidades eclesiais, grupos de jovens ou organismos da Igreja Católica, que atuam, desde sempre, numa perspectiva ecumênica e aberta à pluralidade de experiências e pertencimentos religiosos. Ao longo dos anos, somaram-se outros ativistas e lideranças identificados com as lutas e a defesa dos direitos humanos.

  1. ADRIANO PAULINO DE ALMEIDA – Sociólogo e mestre em linguística, militantes de direitos humanos, colabora com o CDVHS desde 2003, quando ainda era estudante de Ciências Sociais.
  2. ALESSIO LOIOLA – Missionário Comboniano, é padre, com atuação em ações e projetos de comunicação. Atualmente, encontra-se em missão na Itália.
  3. ANA MARIA DE FREITAS – Assistente Sociais, compõe as Comunidades Eclesiais de Base. Militante de direitos humanos, já tendo passando pelo Centro de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos da Arquidiocese, atualmente coordena a Cáritas Arquidiocesana de Fortaleza. É presidente do CDVHS até 2019.
  4. BENEDITO CUNHA – Cientista Social, é histórico militante de direitos humanos, tendo atua nas Comunidades Eclesiais de Base e movimentos populares de Fortaleza. Atualmente, compõe o Centro de Direitos Humanos Dom Helder Câmara, no Genibau.
  5. CAIO ANDERSON FEITOSA CARLOS – Sociólogo de formação, é militante de Direitos Humanos e pelo direito à cultura. Fez teatro, presidiu o grêmio do CAIC Maria Alves Carioca, como também participou da fundação do Fórum de Cultural do Grande Bom Jardim. Fez parte dos Comitê de Bairros da Rede DLIS, em 2004-2005. Em 2010, volta a colaborar com o CDVHS como bolsista no Projeto Jovens Agentes de Paz. Faz parte da equipe de coordenação colegiada desde 2016.
  6. EDIVÂNIA MARQUES DE SOUZA – Geógrafa, ambientalista e militante de direitos humanos, atuou em grupos de arte e cultura do Grande Bom Jardim e em Fortaleza, nas comunidades Eclesiais de Base Fortaleza e colabora com o CDVHS desde 2012, nas ações sobre meio ambiente e na assessoria sobre juventudes.
  7. EDUARDO MARQUES – Estudante de Engenharia Ambiental, é articulador comunitário, com inserção junto aos grupos culturais e de juventude da região do Grande Bom Jardim. Atuou no Jovens Agentes de Paz.
  8. ELIZEU DE SOUSA – Jornalista, mestre em avaliação de políticas públicas. Ativista pelo direito à comunicação e das causas sociais desde os anos 80 em Fortaleza.
  9. FÁTIMA CARLOTO – Sócia fundadora do Centro de Defesa, atuou nas Comunidades Eclesiais de Base e nos movimentos populares da região desde os anos 80 do século XX. Atuou também na Associação dos Moradores do Bairro Canindezinho.
  10. FRANCISCO ALEF FEITOSA – Jovem militante dos direitos humanos, tem histórico de atuação junto as pastorais e grupos de juventude Igreja Católica. Atuou no Jovens Agentes de Paz, estuda psicologia e hoje faz parte do Conselho Gestor do Centro, ocupando a Secretaria.
  11. GENI CARMEM – Sócia fundadora do Centro de Defesa, atuou nos grupos de jovens e nas Comunidades Eclesiais de Base. É administradora de formação, fez parte do grupo inicial que fundou o Centro, tendo sido coordenadora administrativa e financeira por muitos anos.
  12. GORETE ALVES VIDAL – Pedagoga, é sócia fundadora do Centro de Defesa, trabalhou nas iniciativas das escolas comunitárias e pelo direito à educação no território. Compôs também os grupos de jovens e as Comunidades Eclesiais de Base. É feminista e tem experiência de atuação junto a grupos de mulheres na perspectiva da economia solidária.
  13. GUSTAVO COVARRUBIAS – Missionário Comboniano, atuou no Centro de Juventude para Paz e Rede de Juventude para a Paz em Timon e Fortaleza. Em Fortaleza, contribuiu para a formatação do projeto Jovens Agentes de Paz. Atualmente, encontra-se em missão no México.
  14. IOLANDA LIMA – Liderança popular do Grande Bom Jardim, poeta popular, cordelista e guardiã da memória de luta e ocupação do território, Iolanda atuou junto as famílias ocupantes da Terra de Assis, ocupação no Canindenzinho. Neste mesmo bairro, foi presidenta da Associação dos Moradores do Bairro Canindezinho.
  15. ISABEL FORTE – Teóloga e estudante de psicologia, Isabel atuou no movimento de juventude de Fortaleza, fosse nas pastorais de juventude e em organizações e movimentos sociais. Atualmente integra a equipe da Cáritas Arquidiocesana, atuando junto aos grupos de economia solidária e de catadores.
  16. JOAQUIM ARAÚJO – Filosofo de formação, atuou como artista de teatro e da cultura popular, em Fortaleza e outras cidades do estado do Ceará, como também como arte educação na educação formal. Foi educador social em várias organizações que atuam com crianças, adolescentes e jovens no Ceará. Foi assessor de juventudes do Centro de Defesa. Atualmente, é articulador comunitário do Comitê Cearense pela Prevenção dos Homicídios na Adolescência e gerente de formação no Centro Cultural Bom Jardim.
  17. LISNEIDE SOARES – Sócia fundadora do Centro de Defesa, atuou nas Comunidades Eclesiais de Base e nas lutas comunitárias do Grande Bom Jardim. Tendo também atuado também na pauta da economia solidária, participando da Fundesol.
  18. LÚCIA ALBUQUERQUE – Assistente Social de formação, com especialização em direitos humanos, é sócia fundadora do Centro, tendo participando da Pastoral da Juventude do Meio Popular e das Comunidades Eclesiais de Base. Lúcia foi coordenadora do Centro de Defesa por mais de 10 anos.
  19. MARCO PASSERINI – Missionário Comboniano, atual no Brasil há 37 anos. Foi Vigário da Área Pastoral do Grande Bom Jardim, sendo grande incentivador das Santas Missões que ajudaram a dar sentido e a fundar o Centro de Defesa. É sócio fundador do Centro, tendo sido seu presidente por dois mandatos e atualmente é tesoureiro. Também Coordena a Pastoral Carcerária no Ceará.
  20. MARILEIDE DA SILVA LUZ – Associado do Centro, é pedagoga e professora da rede pública municipal. Marileide atuou nos grupos de juventudes e nas Comunidades Eclesiais de Base da Igreja Católica. No Centro, atuou nos programas pelo direito à cidade, nas ações sobre participação social e planejamento participativo da cidade, ajudando a fundar a Rede DLIS, nas ações pelo direito à educação. Foi coordenadora executiva do Centro por seis anos. Presidiu o Conselho Estadual de Defesa dos Direitos Humanos do Ceará, representando do CDVHS.
  21. OSCAR GATICA – Atuou na resistência ao regime militar argentino e na fundação do Movimento Nacional de Direitos Humanos. Foi dirigente do movimento e atuou no Programa Nacional Proteção aos Defensores de Direitos Humanos, na luta pela memória e justiça das violações acontecidas durante o regime militar, como também na articulação e construção dos Planos Nacionais de Direitos Humanos.
  22. PÁDUA MAGALHÃES – Atuou nos grupos de jovens e Clubes da Paz, das escolas apoiadas pelo Centro. Foi colaborador do CDVHS e se tornou associado em 2010.
  23. RENATO LANFRANCHI – Foi Missionário Comboniano, atuando na área do Grande Bom Jardim, contribuindo com as Comunidades Eclesiais de Base, apoiando as comunidades e suas ocupações. É sócio fundado do Centro. Atualmente, atua no Centro de Direitos Humanos de Sapopemba, em São Paulo.
  24. ROGÉRIO DA COSTA ARAÚJO – Psicólogo, é militante de direitos humanos e ambientalista. Atuou junto ao Fórum Cearense da Zona Costeira e nas lutas pelo direito à cidade. Atualmente, compõe a equipe de Coordenação do Centro de Defesa da Vida.
  25. ROSIANA QUEIROZ – Sócia fundadora do Centro de Defesa, é filosofa. Atuou na Pastoral da Juventude do Meio Popular, nas Comunidades Eclesiais de Base e nos movimentos comunitários e populares dos bairros e favelas de Fortaleza nos 80 e 90. Foi a primeira coordenadora executiva do CDVHS, participou da coordenação do Movimento Nacional de Direitos Humanos. Foi assessora da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Federal e da Câmara Municipal de Fortaleza. Atualmente colabora com a Sociedade Maranhense de Direitos Humanos.
  26. RUBENS CARLOTO – Morou no Canindezinou e atuou nos grupos de jovens da comunidade. Formou-se em psicologia na Universidade Federal do Ceará, onde também cursou mestrado. Atualmente mora da Alemanha.
  27. VICENTE DE PAULA – Militante popular do Grande Bom Jardim desde os anos 80 do século XX, atuou nas Comunidades Eclesiais de Base e nas lutas comunitárias da região. É comunicador popular, tendo atuado na rádio comunitária Nossa Voz. Atualmente, colabora nas lutas pela preservação do Rio Maranguapinho e do Parque Lagoa da Viúva.