FESTIVAL DIALOGA SOBRE DIREITO À CIDADE COM ARTE E CULTURA

Publicação 04/09/19 15:34; atualização 04/09/19 15:57

Através de ciclos de diálogos estudantes, artistas, organizações da sociedade civil, gestores de equipamentos públicos e parceiros/as da universidade, discutem a partir de quatro áreas temáticas a ressignificação dos espaços públicos, a defesa e a promoção dos Direitos Humanos no II Festival das Juventudes.

Foto Marly Pereira

Ter uma praça, conversar na calçada, fazer um reggae, ter saneamento básico, muitos são os exemplos para significar o Direito à Cidade. E foi pensando e desejando o acesso a esse direito humano que os/as participantes do II Festival das Juventudes deram boas-vindas ao ciclo Ser das Áreas no dia 31 de agosto. Afinal de contas o Estatuto da Juventude indica no artigo 31 que o/a jovem tem direito ao território e à mobilidade , incluindo a promoção de políticas públicas de.moradia, circulação e equipamentos públicos. E, por ser um Direito Humano ainda cheio de desafios para ser efetivado, o terceiro encontro do Festival das Juventudes falou sobre o Direto à cidade a partir de algumas inquietações: Por que algumas pessoas não têm acesso à moradia digna? Por que apenas 29% da Região do Grande Bom Jardim tem acesso ao saneamento básico? Como é Ser das Áreas? Essas e outras perguntas conduziram o encontro de uma galera muito animada. Um dia de trocas, aprendizados e descobertas.

Confira a programação:

Apresentações Culturais:

Sonoridades Urbanas do Maracatu Nação Bom Jardim

Vozes da Periferia com Tambores do Gueto e Companhia Viv’arte- Apresentação também convidada pelo Centro Cultural do Bom Jardim

Roda de Conversa

Tema: História do Grande Bom Jardim e os desafios do Direito à Cidade

Facilitadorxs: Rogério Costa, Aline Feitoza e Marcela Monteiro

Vivências sobre o tema do encontro:

Oficina de Teatro: Jorge Costa Oficina de Poesia: Douglas Severiano Oficina de Lamb: Matheus Miller Oficina de Comunicação e Direitos Humanos: Estudantes do LabGRIM ( UFC)

Temos encontro marcado em setembro para dar continuidade ao Ciclo Ser das Àreas.