CDVHS APOIA CAMPANHAS SOLIDÁRIAS NO GRANDE BOM JARDIM

Publicação 14/04/20 00:07; atualização 14/04/20 10:59

A Campanha Adote uma comunidade é organizada pela Rede DLIS do Grande Bom Jardim da qual faz parte o Centro de Defesa da Vida Herbert de Souza e tem por objetivo desenvolver ações solidárias junto às famílias de comunidades do Grande Bom Jardim, impactadas pela pandemia da Covid-19, além de cobrar políticas públicas permanentes destinadas às periferias urbanas. Bom Jardim em Luta é outra campanha solidária que tem feito a diferença.

Card de divulgação nas redes sociais. Ver @rededlis

FORTALECER ORGANIZAÇÕES LOCAIS

Lançada no dia 28 de março, a Campanha Adote uma Comunidade conta com uma Comissão Organizadora que está construindo coletivamente uma matriz de famílias prioritárias a partir da indicação pelas lideranças locais. Ao mesmo tempo estamos acompanhando as iniciativas de distribuição das ações solidárias nos territórios para que as mesmas cheguem até mesmo nas comunidades mais desconhecidas. Até o dia 13 de abril, a Campanha distribuiu 113 cestas básicas e igual número de kits de limpeza, chegando às seguintes comunidades: Marrocos, Nova Canudos, Santo Amaro, Pantanal, Irmã Dulce 2, Paz, Nova Canaã, Nova Esperança, Santa Paula Frassinet na Granja Lisboa, Jardim Jatobá e residencial Ana Facó, Tatumundé, Santa Cecília, São Vicente, Nova Esperança.

Outro detalhe importante que garante a participação das organizações locais nessa campanha, além de identificar famílias, é que algumas são também pontos de apoio direto para receber e distribuir doações. Além do Centro de Defesa da Vida Herbert de Souza, que atua nas comunidades da ZEIS Bom Jardim e coletivos de juventudes, a partir do JAP, a Associação Espírita de Umbanda são Miguel, que atua na Granja Lisboa, a Associação dos Moradores do Bom Jardim, que atua na região do Santo Amaro, no Bom Jardim, o Espaço Geração Cidadã, que atua na Granja Portugal, e a Campanha Bom Jardim de Luta que se articula no Fórum de Cultura do Grande Bom Jardim e tem chegado a famílias no Bom Jardim e Granja Portugal, são exemplos dessas organizações.

CAMPANHAS COMPLEMENTARES E COLABORATIVAS

A Campanha Adote uma Comunidade, organizada pela Rede DLIS, se soma, portanto a outros esforços solidários que estamos vendo acontecer e que têm o Grande Bom Jardim como foco ou como um dos destinatários das iniciativas. Isso tem gerado um diálogo interessante entre diversas iniciativas, fortalecendo a solidariedade.

A Campanha Bom Jardim em Luta, em diálogo constante com a Rede DLIS e com o Fórum de Cultura do Grande Bom Jardim, foi a pioneira das campanhas do GBJ e suas ações solidárias já chegaram a 150 famílias, em diversas comunidades. Cada família recebeu também um kit para limpeza.

O Centro de Defesa da Criança e do Adolescente (CEDECA Ceará) atua atualmente em três territórios de Fortaleza: Bom Jardim, Jangurussu/Ancuri e Pirambu, onde realiza ações de arte-educação e formação política junto a coletivos e grupos de adolescentes e jovens e lançou campanha para apoiar esses territórios durante a pandemia.

A campanha Ser Ponte Fortaleza, iniciativa da sociedade civil, vai apoiar 20 famílias do GBJ com cestas básicas pelos próximos 3 meses.

A campanha Supera Fortaleza, em diálogo com o Movimento de Saúde Mental e com a Cáritas já chegou ao território apoiando a Associação de Catadores de Materiais Recicláveis com 20 cestas básicas e a Associação Espírita de Umbanda São Miguel (AEUSM) com 70 cestas básicas. A AEUSM, que realiza um importante trabalho de apoio aos povos de terreiro, também recebeu o apoio do SESC com a doação de 200 litros de leite e 700 kg de bananas, já devidamente distribuídos para as famílias das comunidades da Granja Lisboa. É um dos pontos de apoio da campanha Adote uma Comunidade.

As famílias da Granja Portugal terão um apoio fundamental do Espaço Geração Cidadã e da Visão Mundial para o recebimento de cestas básicas e um kit ternura – material pedagógico a ser utilizado por toda a família, fortalecendo os laços entre pais e filh@s, entre adultos e crianças. O apoio chegará a 600 famílias.

A Frente de Luta por Moradia Digna também está se mobilizando e procurando apoio para as comunidades e lideranças impactadas pela pandemia. Uma parte das ações solidárias que a FLMD realizará contempla comunidades e lideranças do Grande Bom Jardim.

O Centro de Cidadania e Valorização Humana (CCVH), com sede na comunidade Nova Canudos, também recebeu doações diretas e realizou importantes iniciativas de solidariedade, como distribuição de 40 cestas básicas, sendo 15 cestas básicas para a família e outras 25 cestas específicas para alimentação de crianças, 40 kits de higienização, além da confecção de uma faixa de encorajamento fixada na Unidade Básica de Saúde Ábner Cavalcante Brasil. A bike-som do Seu Dedé também circulou pelas ruas da comunidade alertando os moradores a adotarem precaução e evitarem aglomerações que facilitam a contaminação comunitária das pessoas pelo coronavírus.

Mais recentemente, estamos vendo a movimentação do Instituto Katiana Pena.

Em todas as periferias despontam campanhas solidárias. Associação dos Moradores do Bairro Serrinha (AMORBASE), Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Jangurussu Solidário, LagAmar, além das já citadas Ser Ponte Fortaleza e Supera Fortaleza, são algumas dessas campanhas.

Todas essas campanhas usaram as redes sociais para se comunicarem com a sociedade.